quinta-feira, 7 de abril de 2011

Basta de violência!


A educação e a escola brasileira, salvo esforços heróicos de vários funcionários e professores, está sucateada e relegada ao descaso há muitos anos. O mesmo pode ser dito da segurança, das perspectivas de vida, trabalho e vida digna num país de desigualdade cruenta e permeado por corrupção em cada poro de suas instituições. A evolução, os bons resultados viram notícia. Sinal de que muita coisa está errada. A começar pelo voto obrigatório, pelos impostos abusivos (e não revertidos em benefícios), à máquina insaciável e inchada do Estado e seu castelo de benefícios a poucos, deveres para todos e direitos de uns ou outros. Nosso país, fale o que que quiser, é perigoso, inseguro. Nosso país espera por respostas, por ações, por atitudes ponderadas e de longo prazo. Se você é um cidadão equivocado e ignorante que votou no Tiririca (que está na comissão de educação), parabéns. Não é culpa dele o massacre ocorrido no Rio. Mas todos que fizeram piada do pleito têm uma parcela de responsabilidade em nossa situação.
É muito fácil entrar numa escola. Bastou um sujeito chegar dizendo que iria proferir uma palestra. Já estava dentro da escola onde estudou. Sim, um ex-aluno. Fortemente armado. Resultado: 12 crianças mortas e 13 feridos até o momento. O agressor foi impedido pela pronta ação de um bom policial e um bom bombeiro. Caso contrário, teria sido pior.
Não tem uma semana, duas pessoas que amo mais que a mim mesma, foram feitas reféns em sua casa. Tudo foi levado. Armas apontadas o tempo todo. Foram amarrados, trancados. Tudo que você trabalhou pra ter, em segundos levado por duas pessoas que acham justo tomar o que é de terceiros à força. De onde vem tamanha violência que invade nossas casas? Ninguém está imune. Ela vem do descaso do governo e da sociedade com coisas que estruturam um mundo melhor: saúde, educação, segurança...
Tudo de ruim que estamos vivendo é o resultado de uma equação de negligência: famílias sem estrutura, miséria, falta de valores, ensino de má qualidade, desvalorização da educação e do mérito, valorização implícita da Lei de Gerson, impunidade, facilidade de obtenção de armas, alienação e marginalidade desde cedo. É isso que estamos produzindo: milhões de potenciais criminosos, agravamento de sociopatias relegadas ao acaso e que mais tarde lotarão celas imundas.
O que eu vejo na escola é que foi um ato isolado de uma pessoa, fruto da insanidade (temporária ou não). 
O que é geral é a violência, o estresse e a putefração de valores humanitários.
E vale lembrar sempre que se o desarmamento em nosso país fosse assunto SÉRIO, tratado com a competência necessária, NENHUMA PESSOA portaria uma arma, exceto as autoridades preparadas. Essas armas são oriundas de nossas fronteiras vazadas, de lares de pessoas iludidas com a falsa segurança que uma arma em casa dá (e que são levadas nos furtos e roubos), do tráfico de drogas, da organização do crime. Organização que infelizmente, parece faltar ao Estado.

Um comentário:

Claudia Fontenelle Gonçalves disse...

Ueba!!! Visual novo! Ficou ótimo: alegre, leve, limpo, MUITO bacana!!! E o assunto é mesmo muito sério. Concordo com vc em tudo. Bjs!!