domingo, 16 de janeiro de 2011

Eu e Amy

Ingressos na mão, Ma e eu no show na platéia, palcão e a diva
Faltou cerveja, faltou água, organização zero. Whatever. Tô nem aí. 
Pra mim foi um momento mágico.
Amy no palco. Não precisava mais nada.
Lá estava eu e Amy. Entre nós um mar de gente. Mas a voz de Amy chegou direto pra mim. Era ela, esquecendo frases de algumas músicas e sorrindo marota, chamando seus músicos de "my boys", ajeitando o cabelo bololô, precisando fazer intervalinhos no show.
Em um desses intervalos, geral começa a ensaiar uma vaia.
Amy responde simpática e começa a cantar.
Bando de bárbaros. Metade dos ouvidos que estava ali jamais saberá o que ouviu. Porque Amy é uma dessas artistas que entra num palco e é capaz de silenciar a platéia apenas com sua presença.
Amy virou um ícone. O desenho de seu cabelo já a identifica. Ela á uma voz referencial. Eu mesma já comentei aqui "fulano tem um estilo Amy etc".
Mas as tentações são muitas. Amy caiu em várias. 
Nunca vi Amy apelando, se fazendo de vítima, jogando a responsabilidade em alguém ou em sua história, nada. Amy carrega uma aura de autenticidade que só quem beira o genial ostenta. Amy nunca mais terá a potência respiratória e vocal do início, resultado da mistura crack com cigarro.
A Amy que eu vi, a Amy tentando se reerguer, sem jamais se justificar ou se desculpar por ser quem é, canta como raros conseguiram. Mesmo com a perda de potência. 
Muitos da platéia assitiram ao show aguardando algum tombo, sei lá, que ela desse algum piripaque. Nada. Tá, ela esqueceu algumas palavras, mas e daí? Também vi um bando de pessoas filmando.Há uma geração de pessoas que não confiam na mente e nos olhos. Precisam gravar qualquer coisa...Perda de tempo. Nenhuma gravação dará qualquer noção do que foi estar ali.
Porque a experiência do show ao vivo não é ir pra gravar. Não é ter um robô repetindo palavras como no CD. Não é nem ficar perto do palco.
Numa noite linda, naquela cidade cinza e dura, estar num mar de gente envolvida pela voz de Amy é algo que só gente com certo repertório sabe apreciar. A vibe da banda, da artista, do momento histórico pra quem é mesmo fã, é isso que vale.
Eu espero realmente que Amy consiga ter uma longa carreira, que consiga cuidar melhor de sua saúde, que encontre um amor que lhe faça feliz. Porque admiro pessoas autênticas, mesmo com suas quedas. 
.
Minha coluna dessa semana no Monalisa de Pijamas trará mais detalhes pra quem quiser saber mais do Summer Soul com a Amy.
CLIQUE AQUI PRA LER



Um comentário:

gheisa disse...

Ju, amei essa foto!